fbpx

O que é a Síndrome da Deficiência Energética?

A busca de um rendimento esportivo cada vez mais alto, aliado um corpo perfeito tem levado muitos atletas e esportistas a uma síndrome denominada RED-S (Relative Energy Deficiency in Sport) ou síndrome de deficiência energética relativa no esporte.

Os Portadores aos poucos vão desenvolvendo outras alterações como anemia, fadiga crônica e aumento do risco de infecções.

Além de alterações no perfil de lipídicos e alteração da função vascular com aumento do risco cardiovascular de infarto e derrame cerebrais.

Apesar de ter prevalência no sexo feminino, nos homens a categoria esportiva predomina no ciclismo, seguido do atletismo e salto.

Assim como nas mulheres a baixa ingestão calórico-proteica reduz a taxa de testosterona causando perda muscular e redução da massa óssea.

A Síndrome da Deficiência Energética começa com alterações de humor e sono, queda de rendimento, aumento do número de lesões osteo-articulares, redução da taxa de crescimento em adolescentes, perda exagerada de peso e alterações menstruais que coincidem com pico de aumento de volume de treino.

O tratamento envolve adequação da taxa proteico-calórica e das consequências causadas pela síndrome como infecções crônicas e fraturas estresse.

O atleta deve ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar envolvendo nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, médico do esporte, endocrinologista e ginecologista.

O retorno ao esporte deve ser gradual e acompanhado de perto pelo médico do esporte, dosando-se o volume de treino, prevenindo a recidiva.

A Síndrome da Deficiência Energética pode ocorrer em qualquer pessoa que que pratique esportes em alto volume, por isso não exagere!

Dr Paulo Cavalcante – Ortopedia Esportiva e Cirurgia do Joelho

CRM 26504 | TEOT 16690 | RQE 18002

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *